quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Vida sexual de mãe (o durante e o pós gravidez)!

Resolvi respostar esse assunto! Acho que é um assunto que sempre mexe com a cabeça das futuras mamães e new moms. E vou confessar que é um assunto que as vezes ainda me assusta! Eu passei por isso quatro vezes e todos sabem que pretendemos passar a quinta, e acredito que na próxima o medo e a insegurança será a mesma.

Eu só casei depois que a Melissa nasceu, e então já foi em uma época pós gravidez! Eu fui morar com a família do Pedro logo que contei a gravidez para a minha família, eu sempre morei com meu pai desde a separação, mas nessa época tinha resolvido dar uma chance para minha mãe e ela me expulsou de casa por causa da gravidez. Eu morei lá praticamente toda a gravidez (a partir dos 4 meses) até a Melissa ter uns 5 meses, aí fui para a Austrália com o Pedro. A minha lua de mel foi 1 ano depois que a Melissa nasceu, e foi quando a minha vida sexual voltou para a minha vida!

Durante a gravidez da Melissa nós éramos jovens e destemidos (ainda somos jovens mas não somos tão destemidos anymore). Durante a gravidez não tivemos nenhum problema com o sexo, ele aconteceu até os últimos meses e com a mesma frequência de antes, que sempre foi quando os dois estavam afim (e jovem sabem como é né? hahaha Rolava quase todo dia, pra não dizer que não tínhamos época que não queríamos)! Mas só que depois do parto eu fiquei com um super medo, não queria que a "quarentena" acabasse. Infelizmente os 40 dias se passaram, e o Pedro começou a pedir por aquilo que nos uniu, aquilo que trouxe a nossa vidinha. Mas eu não conseguia perder o medo de fazer. Demoramos meses para sermos "sexualmente ativos" novamente!! Até porque não era mais como antes, que podíamos fazer quando e onde quisemos, tínhamos uma filha e ela precisava de cuidado 24 horas por dia. Muitas pessoas falam que não atrapalha em nada, mas é claro que atrapalha! E se ela chorasse no meio? E se acontecesse alguma coisa com ela? Esses eram meus maiores medos de mãe de primeira viagem. E não vou negar, continua sendo atualmente!

A nossa primeira vez pós-parto foi quando a Melissa tinha 11 meses, vocês acreditam que dois seres de 17 e 22 anos ficaram ONZE MESES sem sexo? Difícil né! Nós viemos para o Brasil (a gente morava na Austrália na época, viemos para o Brasil para comemorar Natal e comemorar o 1 ano da Melissa adiantado). Como aqui a gente tinha com quem deixar a Melissa, fomos curtir a vida. A minha sogra está acostumada a ficar com a Melissa desde essa época, tadinha! hahaha O programinha normalmente era cinema/jantarzinho até que o Pedro teve a ideia brilhante que no início me assustou: Motel. Esse sempre foi nosso esquema, cinema/jantar e depois motel quando não dava para ser em casa. Uma ideia que confesso que me assustou, e lembro que pensei "e agoraaaa? Eu quero muito, mas será que rola?", falei sim e fui conversando com ele, que eu estava com medo, que não tinha certeza se queria, ele me lembrou da nossa primeira vez e disse que seria como ela, que ele teria cuidado e que se eu quisesse que ele parasse, ele parava. Que não iria fazer nada que eu não quisesse. E foi assim, que depois de 11 meses nós tivemos nossa primeira vez pós-parto. E como ficamos algumas semanas no Brasil, tivemos algumas idas ao Motel (sempre com um medinho, confesso!), e depois do Natal e Ano Novo nós fomos viajar para ter a nossa lua de mel,  e foi ai que a nossa vida sexual foi voltando ao normal. Lá era certeza que ninguém ia nos atrapalhar e já sabíamos que para voltar a ser como antes era preciso de prática, e assim fomos, praticando. rs Eu sempre brinco com o meu marido que era a Austrália que não nos deixava fazer sexo, porque no Brasil e em Bora Bora (fomos para lá na nossa lua de mel) conseguimos fazer normalmente. hahaha Quando nós voltamos para a Austrália, ainda fiquei meio insegura com o sexo. O fato da Melissa estar no quarto ao lado e poder chorar a qualquer momento era o que me deixava insegura. Passei noites acordadas até ver que ela não era mais tão bebê e não acordava de madrugada, e quando acordava ficava quietinha no berço e logo voltava a dormir. E aí, a nossa vida voltou a ser como antes! A Melissa dormia as 19/20 e nós íamos nos curtir.

Quando viemos para o Brasil porque estávamos nos mudando para os EUA, deixaram o Joaquim na porta de casa. E a nossa vida sexual desandou novamente! Um ano depois de conseguirmos voltar a fazer sexo. -Uma amiga que queria adotar uma criança e já tinha um dela, que sofreu no pós-parto para voltar a fazer sexo me perguntou se dava para fazer normalmente, diferente do pós-parto. Eu acho que o que não nos deixa fazer sexo é mais o bebê do que a questão do parto e tudo mais!- Dessa vez eu não tive que ficar quarenta dias sem sexo porque não podia fazer mas sim porque o Joaquim acordava de 3 em 3 horas certinho. E então eu levantava de 3 em 3 horas de madrugada (das 20h as 8h) para fazer mamadeira para Joaquim e em algumas noites para a Melissa que acordava com o choro ou com o barulho do microondas. E aí, isso não muda a vida de um casal? -Li um post uma vez que mesmo estando cansada a moça fazia sexo, desculpa se você é assim, eu não sou e só faço quando EU quero. Não faço porque meu marido quer, porque ele está com tesão! Qual a graça de fazer sem querer? De fazer sem tesão? Assim como ele quer se divertir, eu também quero. Mas só que as vezes eu prefiro dormir ou ter um tempo só para mim!- O que eu mais queria nessa época era poder dormir por mais de três horas! Eu fiquei muito mais cansada com o Joaquim do que com a Melissa, até porque eu tinha dois e nem sempre que um dormia o outro dormia. O Joaquim só começou a dormir mais de 3 horas com 6 meses. E depois que o Joaquim começou a dormir mais de 3 horas nós ainda ficamos uns 2 meses sem sexo! Depois que o Joaquim começou a dormir a noite inteira tudo o que eu esperava era o Pedro falar "vamos?"!! Afinal, nada no meu corpo tinha mudado além das olheiras e então era só falar vamos para acontecer. hahaha

E 1 ano e 7 meses depois, engravidei do Murilo. Durante a gravidez do Murilo foi tranquilo, assim como na da Melissa que já comentei no início do post. Como era a terceira vez que iriamos passar por isso já tínhamos uma certa experiência. O Murilo era muito mais tranquilo (daqueles que a gente tem que acordar para mamar), nós tínhamos ajuda da minha sogra e então a "quarentena" demorou anooooos para passar! hahaha Eu já estava com o Pedro há anos e então já sabia que ele não se importava com gordurinhas, até porque ele sabe que elas somem. E 5 meses depois do nascimento do Murilo, engravidei da Catarina. A gravidez da Catarina, foi como a da Melissa e do Murilo, a única diferença era que o Pedro estava viajando mais do que nunca. E o pós-parto da Catarina foi ótimo, tanto que 6 meses depois dela nascer recebemos uma noticia, a Maria Beatriz vem por aí!! Assim como no do Murilo eu tinha com quem deixar as crianças e poder curtir o marido. E como tudo é questão de prática, é só praticar muuuuito para voltar ao normal! hahaha

Sei que fui bem vaga nessas últimas! Sim, eu tive medo mas eu já havia passado por aquilo uma vez (no caso do Murilo) e fui com fé de que seria igual e de que seria bom. Nas outras duas acho que já rolava uma confiança bem maior de que seria bom, sabíamos que não seria como antes mas que aos poucos a gente ia se acostumando e dando nosso jeitinho de ser bom e de ser tão gostoso quanto antes. Acho que o que mais mudou nessas últimas duas gestações foi que eu tinha ajuda! Eu tinha quem chamar para eu e o Pedro sair, eu tinha babá a noite toda para me ajudar caso alguém acordasse (bebê ou não).  Não digo que não tive medo, porque tive! Não vou dizer que foi super fácil e que não mudou nada porque eu sei que mudou. Mas eu e o Pedro já passamos por isso e superamos, não foi fácil em nenhuma das vezes voltar a transar mas uma hora a gente sente vontade daquilo que nos une e acaba dando uma chance, e vê que é bom e porque fazia antes. hahaha

E gente, o casal tem que conversar sobre a volta do sexo, pois a mulher fica muito insegura com o novo corpo, com a falta de curvas e com muito mais. É tanta coisa passando na nossa cabeça, é tanto hormônio nas alturas, que não é fácil apenas ir e transar! Não é fácil fazer isso sem tudo isso.  O mais importante é o homem, que tem que saber respeitar e esperar o tempo da sua esposa! A mulher tem que estar pronta e não estar insegura e ele pode ajudar muito. Só dele falar que ela está linda com aquele corpo já levanta a auto-estima dela e ela começa pensar nisso e a aceitar seu novo corpo.
Mas só porque seu marido fala que você está linda não é desculpa para não fazer academia e comer melhor para voltar ao velho corpo, viu? E durante a gravidez a iniciativa é com a mulher! O homem tem medo de machucar o bebê e a mamãe, então vale levar ele ao seu GO para ele tirar algumas dúvidas e ficar mais tranquilo. E também é nessa hora que tem que inovar!!! Tem que ter posições novas porque com certeza o barrigão irá atrapalhar (experiencia própria!). Nessas horas de gravidez e pós gravidez o que precisamos é bom senso, dos dois lados! Durante a gravidez é hora da mulher entender que tem homem que não curte aquilo e depois da gravidez é hora do homem entender que não é fácil para a mulher.

A Aninha Masi do Look Bebê fez um post sobre esse assunto (sexo na gravidez), clica no Look Bebê. ;)

Nenhum comentário:

Postar um comentário